/ 5.1.18 / No comments / , , , , , , , ,

Bem-vindo sejas... 2018 | Janeiro


Bem-vindo sejas... é uma publicação mensal com sugestões, propostas, ideias e intenções para o mês que começa. 
Aqui apresentamos programas de filho único ou ideias para a família toda, escapadinhas a dois, propostas para fazer em casa e fora dela, assuntos incontornáveis e boas oportunidades para saber mais sobre alguma coisa, vontades e desejos, formas de reforçar as relações entre os vários elementos da família e o que mais surgir.
Mês a mês, damos as boas-vindas ao que aí vem.



Janeiro é o mês dos recomeços teóricos.
Na prática até pode ficar tudo igual mas é altura de escrever novas intenções, motivações, fazer listas de alterações importantes e acreditar que a mudança começa agora: com o ano novo, a agenda nova e uma vontade inabalável de fazer melhor.

Cá em casa não somos diferentes, calendários limpinhos, cadernos com separadores importantes para que nada se baralhe e algumas ideias renovadas para este ano a estrear.

Janeiro começa atrasado, mas tem desculpa. Acabaram as férias e a rotina tenta instalar-se mesmo com os restos que ficaram das boas festas a pedir para fazermos só mais uma, a festa da despedida das festas.
Resistimos firmes, sabemos que esse não é o caminho e temos de entrar na linha!
É necessário dar descanso ao corpo, a casa precisa de atenção tal como a nossa dieta, foram muitos excessos e é urgente retomar a orientação que nos leva a bom porto.
Seguimos para este novo ano com afinco e vontade de que seja, no mínimo, tão bom como o anterior.


Para fazer
Ter tempo para estar com quem gosto.
Fiz uma lista das pessoas que gosto e com quem estou raramente, gostava de conseguir ao longo do ano, promover encontros, sejam simples cafés matinais, almoços, um copo ao fim da tarde ou jantares demorados.
Já comecei esta semana, bebi café com uma amiga da qual gosto muito e que andamos sempre a adiar um encontro, estar meia hora à conversa as duas, sem ser no pátio da escola com crianças penduradas e pressa para sair. 
Vou tentar manter esta prática, uma vez por semana era uma média espectacular!

Se é para fazer, faz-se! 
Uma frase talvez a tatuar na testa...
Eu sempre fui perita em deixar para amanhã o que não me apetece nada fazer hoje. Coisas do tipo: Limpar o carro;  Marcar as análises; Arrumar a garagem; Organizar a papelada das contas;
Este mês/ano vou começar a ser mais rígida comigo, vou incluir estas tarefas na minha lista semanal de coisas para fazer e despachá-las o mais cedo que possa. 
Mas como me conheço e sei que de boas intenções está o inferno cheio, neste ponto vou contar, uma vez mais, com a ajuda da minha amiga Joana Alcobia, espreitem o site novo da Jestual e vejam lá se não dá vontade de a chamar para resolver o que insiste em não se resolver...

Planear a longo prazo,
Esta é mesmo uma necessidade que tenho sentido e em várias frentes. Cá em casa somos mestres do improviso, parece que nunca crescemos neste assunto. Improvisar é importante mas é demasiado arriscado e têm-nos trazido alguns dissabores. Temos uma vida muito pouco estável, nunca sabemos como vamos estar daqui a dois meses, nunca fizemos planos a longo prazo, jamais soubemos meses antes onde iríamos de férias no Verão, nunca fez parte da nossa forma de viver, isto acontece por opção mas são também as vicissitudes de viver com um músico.
Gostava imenso de mudar parte disto, claro que não quero perder a espontaneidade mas sinto que há assuntos que precisam de mais rigor e antecipação. 
Penso que cá em casa vamos todos ficar a ganhar com isto, o facto de termos filhas crescidas (... a mais velha faz 18 anos!!!) leva-me a querer mesmo introduzir este (novo) hábito na nossa família. Enquanto são pequenos é fácil andar ao sabor do vento, da vontade e do nosso humor. A vida fluí e os filhos acompanham-nos. Com filhos crescidos a coisa muda. 
Para mim trata-se agora de uma questão de respeito, uma nova dinâmica que exige de todos adaptações. Por isso, vamos a isso!


Em família
O lema é: Pode ser pouco mas tem de ser bom!
As três meninas cresceram. A Rita faz 18 anos (... já tinha dito???) estuda em Lisboa, há trabalhos de grupo que se fazem durante a semana e até tarde, há actividade e chamamentos que nos baralham os horários, há fins de semana cheios de programas que não nos incluem. 
Há cada vez mais momentos em que não somos seis. É normal, é natural. É a vida delas que cresce com asas próprias.
Por esta razão vou querer ter regularmente programas de família daqueles que ninguém quer faltar. Não podem ser muitos mas têm de ter um carácter sagrado.

Para Janeiro temos prevista a ida à Gulbenkian ver a exposição: Do outro lado do espelho, patente até 5 de Fevereiro.

Parte da família já assistiu mas não se importa nada de ver, rever e tornar a ver:
Teatro São Luiz, de 11 a 21 de Janeiro.
Escrevi sobre este espectáculo há pouco mais de um ano quando estreou.
"Em "Do bosque para o mundo" a história é contada por duas mulheres, Manuela Pedroso e Anabela Almeida, que, de forma irrepreensível alternam subtilmente entre uma presença neutra e uma narração intensa dando ao espectáculo tudo o que ele necessita e criando com o público uma cumplicidade absoluta mas secreta. Este é um espectáculo carregado de emoção que nos leva pela mão numa viagem intensa onde sentimos a presença dos traficantes e agentes que manipulam vidas, onde nos falta o ar quando não há espaço nem para respirar, onde fechamos os olhos para evitar ver a morte que se abeira de nós no barco que naufraga. Este é um espectáculo que nos faz ver o mundo que acontece e do qual nós fazemos parte. Este é um trabalho muito sério e carregado de poética onde, tal como nos tradicionais contos de fada, não podemos retirar a negritude para podermos seguir em frente."
Reafirmo cada palavra e também a intenção de voltar a ver este emocionante e poético trabalho dos nossos amigos Inês Barahona e Miguel Fragata.

No mesmo Teatro São Luiz, queremos ver Actores, a nova criação de Marco Martins, com um elenco de luxo que conta com o nosso querido Bruno Nogueira, que assina também a co-produção, Carolina Amaral, Miguel Guilherme, Nuno Lopes e Rita Cabaço.
Entre 11 e 28 de Janeiro.

E para este mês não vou fazer mais sugestões fora de casa, quero que seja um mês calmo, sem grandes programas nem saídas.
É um mês de ressaca, de contenção, de devolver o foco à acção.

Vou ler
A Estranha Ordem das Coisas, António Damásio "afirma que os sentimentos – de dor, sofrimento ou prazer antecipado – foram as forças motrizes primordiais do empreendimento cultural, os mecanismos que impulsionaram o intelecto humano na direção da cultura."

Elena Ferrante
A saga composta por A amiga Genial, História do Novo Nome, História de Quem Vai e de Quem Fica e História da Menina Perdida está já reservada para mim.
 A escritora que ninguém sabe quem é e que eu quero muito ler!
"Não me arrependo de meu anonimato. Descobrir a personalidade do escritor através das histórias que propõe, das suas personagens, dos objetos e paisagens que descreve, do tom da sua escrita, não é mais nem menos que um bom modo de ler."
Elena Ferrante numa entrevista via mail para Il Corriere della Sera, in Wook

Um livro por dia, escolhido a dedo.
Tenho estado a publicar algumas sugestões de leitura para os mais pequenos no nosso instagram, espreitem.

Vou cozinhar
Este livro, do talentoso Paulo Morais,  reúne as melhores receitas do Vietname, Tailândia, Camboja, Laos, Myanmar, Malásia, Indonésia, Singapura e Filipinas. Eu quero tê-lo na minha cozinha.

Vou ouvir
O novo disco do Sérgio Godinho, "Nação Valente" saí este mês e mostra como este cantautor se sabe reinventar em cada trabalho que faz.
Parabéns ao Sérgio, a todos os músicos que participam e acima de tudo ao Sr. director musical e produtor que vive cá em casa. Belo disquinho este, e sai em vinil!

Nação Valente” tem produção de Nuno Rafael, um dos seus habituais “assessores”, e conta com a partilha na composição das canções com alguns dos nomes que Sérgio Godinho mais respeita da música nacional. 
Falamos de nomes como David Fonseca, Filipe Raposo, Hélder Gonçalves, Pedro da Silva Martins ou um velho companheiro, José Mário Branco. 
Márcia é outro dos nomes que aparece aqui, por ter o único tema no disco para o qual Sérgio Godinho faz uma versão. 
Nação Valente” tem a ainda a colaboração do “multidisciplinar” Filipe Melo que soma à sua participação enquanto músico, os (memoráveis) arranjos para cordas e sopros. 
Nação Valente” chega às lojas a 26 de Janeiro de 2018.

A primeira música a ser revelada é do nosso Nuno Rafael com letra do grande Mestre e arranjo de Filipe Melo. Espreitem aqui: "Tipo contrafacção"


Fotografias
Este mês trazemos um conjunto de fotografias do músico e fotógrafo Jorge Buco, podem conhecer melhor e seguir o seu trabalho no instagram ou facebook


E dando continuidade ao iniciado em Outubro passado, aqui fica a minha selecção de datas comemorativas que acontecem neste primeiro mês do ano de 2018:

11 de Janeiro: O Dia Internacional do Obrigado.
Obrigada às redes sociais por terem criado este dia tão simpático. É dia de agradecer.

15 de Janeiro: Dia Mundial do Compositor
Este dia surgiu com o intuito de honrar os compositores existentes no mundo, que contribuem com a sua arte para o fluir das emoções humanas, ao eternizar pequenos momentos e sensações da vida em música, um alimento para a alma.
Eu dedico este dia ao Nuno Rafael, o nosso compositor que vai este ano concorrer ao festival da canção com uma canção de sua autoria.

16 de Janeiro: Dia Internacional da Comida Picante.
É dia de arriscar! À comida picante são apontados vários benefícios, desde o consumo de energia do corpo e consequente emagrecimento ao fortalecimento cardiovascular. Estas são duas razões para dar uma hipótese à comida picante, nem que seja só neste dia.

23 de Janeiro: Dia da Escrita à mão.
O dia teve origem nos Estados Unidos da América e celebra uma invenção com 3500 anos: a escrita à mão. Com a massificação das novas tecnologias a escrita à mão tornou-se obsoleta, querendo este dia reavivar uma arte que durante muitas gerações foi utilizada para passar ideias revolucionárias, escrever obras imortais, assinar acordos internacionais, declarar amores intensos e fazer ameaças, entre muitos outros.
Hoje, escrevam uma carta à mão, imaginem o bom que vai ser recebê-la.

31 de Janeiro, Dia ao contrário.
Este é um dia de fazer tudo ao contrário. O objetivo é abanar a rotina do quotidiano e libertar a mente da prisão da normalidade. A data como é hoje celebrada tem origem nos Estados Unidos da América (o popular dia Backward Day), mas em várias culturas espalhadas pelo mundo já se registava no passado um dia onde as regras eram viradas ao contrário por um dia, tornando-se o ilegal legal e o proibido permitido. Parece giro mas aconselha-se algum juízo!

Desejamos uma boa entrada em 2018 com um óptimo mês de Janeiro!
Share This Post :
Tags : , , , , , , , ,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar