/ 30.11.17 / No comments / , , , ,

Bem-vindo sejas... Dezembro || Especial Natal


Bem-vindo sejas... é uma publicação mensal com algumas sugestões, propostas, ideias e intenções para o mês que começa; Programas de filho único, ideias para a família toda, escapadinhas a dois, propostas para fazer em casa e fora dela, assuntos incontornáveis e boas oportunidades para saber mais sobre alguma coisa, vontades e desejos, formas de reforçar as relações entre os vários elementos da família e o que mais surgir, é o que por aqui temos, mês a mês.

Esta é uma publicação especial e é inteiramente dedicada ao Natal.
Sem tantas sugestões culturais como habitualmente e mais centrado na forma como podemos viver esta época de forma mais significativa e em família.




Sobre o Natal já por aqui escrevi que tenho uma relação de amor-ódio com esta quadra. 
Por um lado, detesto ser bombardeada pelas campanhas de natal, incomoda-me o mau gosto generalizado e chateia-me muito o consumismo desenfreado ao qual não consigo fugir totalmente, nem eu nem muito menos as miúdas.
Tento chamar-lhes à atenção para valores bem diferentes dos valores materiais, especialmente nesta época, mas é um equilíbrio difícil.
Fico, todos os anos, com a sensação de que podia ter feito melhor... (...)
Por outro lado, adoro as férias de inverno, as reuniões de família, os jantares com amigos, o bacalhau, os sonhos de abóbora e as fatias douradas, a lareira, os pijamas e as pantufas, fico emocionada quando vejo a nossa mesa tão cheia, gosto de oferecer coisas bonitas que assentem como uma luva, gosto de pensar em cada um, de dar e receber mimos e abraços dos meus sobrinhos, gosto das viagens e da sensação de chegar onde nos esperam, gosto dos pequenos almoços do dia de natal e de ver filmes lamechas, gosto dos frutos secos e dos vinhos especiais que se bebem nestes dias, gosto de ter os meus filhos por perto e ajudá-los a valorizar os pormenores que de facto importam e que compensam tudo o resto... gosto da forma como nos sentimos mais atentos e disponíveis para os outros e penso que isso deve ser levado muito a sério acima de tudo dentro da nossa própria casa.

O Natal, ao contrário da frase feita que existe, não é quando um Homem quer mas é, certamente, aquilo que fazemos dele.



Reuni algumas sugestões de coisas para fazer em família, juntei também uma lista de presentes, objectos e propostas que fui recolhendo e que podem ajudar a acertar em cheio e a dar um significado maior a esta quadra natalícia.

A decoração da casa
É básico e elementar: Fazer com os miúdos! 
Mas primeiro, adaptem as expectativas. 
Não vão ter uma sala daquelas que encontram no instagram e onde nos querem fazer acreditar que foi tudo feito pelas mõazinhas papudas dos filhos hiper talentosos, onde é tudo incrível e bonito e a condizer.
Vamos ser realistas e pesar na balança o que é para nós mais importante, ter um feed cheio de likes ou uns filhos cheios de orgulho?
Se a opção for a segunda basta abrir o Pintrest ou acompanhar algumas contas IG mais terra a terra, espreitar o livro da Maria Cordoeiro Viver devagar e já está meio caminho andado para encontrar ideias giras, simples e exequíveis, cujo resultado deixa miúdos e graúdos a babar de vaidade.
E aos nossos olhos vai estar lindo, cheio de significado e amor.

Manifesto
Façam um levantamento das vossas preocupações e espalhem-nas, expliquem porquê, melhor ainda, ponham os miúdos a explicar.
- Reutilizem, apanhem paus, pinhas, folhas, evitem ir às lojas comprar porcarias de plástico.
- Vamos evitar o desperdício: será necessário uma mesa com tantos doces, alguns dos quais todos sabemos que ninguém come?
- ...
Escrevam uma carta, um género de manifesto sobre o que vocês sentem em relação ao Natal. Envolvam os miúdos nisto, afinem a direcção juntos.
Enviem o manifesto para os amigos e família, façam disto o vosso cartão de boas festas.

Sair de casa
Mesmo com frio, vento, chuva... vistam os casacos e calcem as galochas.
Mas atenção, nesta altura está tudo cheio de gente e isso pode ser uma confusão (nós detestamos).
Os programas mais simples acabam por ser os melhores, como por exemplo, ir ver as iluminações e andar de eléctrico. Ficar sentados num banco de jardim, de um dos bonitos miradouros da cidade ,enquanto comem castanhas. Passear na praia e apanhar paus e pedras para pintar. Contar histórias passadas nos natais anteriores enquanto olham o mar.

Atenção ao próximo
Há muitas iniciativas solidárias nesta altura, o importante é adaptar o que escolhemos fazer à faixa etária dos miúdos e assegurar que eles entendem verdadeiramente o que estão a fazer.
Além de ofertas de brinquedos e roupas, distribuição de refeições e agasalhos que podem ser feitas directamente em várias instituições, há aqueles que estão próximos e a quem podemos reforçar a nossa atenção nesta altura; uma vizinha que vive sozinha, uma tia-avó que está numa casa de repouso, as pessoas que vão estar a trabalhar na noite de Natal. 
Fazer bolinhos e ir entregar no hospital para as equipas que vão estar de serviço, ou na polícia. Chamar a vizinha para nos ajudar a fazer as filhoses, ir buscar a tia-avó e levá-la a ver as luzes.
São pequenos gestos que mudam muito a forma como podemos viver o Natal e partilhar com os outros o verdadeiro espírito da época.

Criar novas tradições na família
Tal como expliquei numa publicação anterior, não trazemos uma tradição muito forte de família no que se refere à vivência desta quadra, tem sido muito bom criar novas dinâmicas e fazer delas tradição.
Gosto de ter os meus sobrinhos em minha casa nesta altura, antes ou depois do Natal e aproveitando as férias escolares, adoro juntar os primos cá em casa e passar uns dias em função dos miúdos.
É um luxo imenso poder ter esta disponibilidade. 
Não fazemos nada de especial, podemos ver filmes em casa ou ir ao cinema, damos passeios a pé, passamos maior parte do tempo a cozinhar e a comer, lemos histórias aos mais novos.
Estamos uns com os outros e esta é uma tradição da qual já ninguém quer abrir mão.

Momentos especiais
Preparamos uma apresentação para oferecer na noite de Natal.
Pode ser uma leitura partilhada, uma história encenada, uma pequena representação com direito a cenário e sonoplastia... é feito por nós e um momento muito especial para todos.

Presenças em vez de presentes
Este apelo é já de uma publicação antiga mas queremos repeti-lo de ano para ano:
Há muitos anos e com o objectivo de sensibilizar os nossos amigos e família para este espírito, inspirámo-nos no livro Laura e o Coração das Coisas e escrevemos uma carta a pedir a todos que trocassem os presentes por presenças e viessem estar connosco e com os nossos filhos, este ano voltamos a evocar o mesmo: Venham, prometemos ter sempre chocolate quente, ginjinha caseira e bolinhos feitos por nós, a lareira acesa e música de natal (é mais provável que não seja de natal...) Venham SER presentes neste Natal.



Algumas sugestões
Para os nossos pais, mães, sogros...
Bilhetes para o teatro.
Ofereçam bilhetes a contar convosco e vão todos juntos, um presente que não é só uma vivência enriquecedora, como implica dar do nosso tempo e reforçar a valorização do estar junto de quem amamos.
A programação do São Luiz é a nossa preferência mas há espectáculos fantásticos a acontecer não só por toda a cidade como em todo o Pais, basta procurar e adaptar aos gostos de cada um.

Livro: Os Vampiros, Juan Cavia e Filipe Melo
Para quem viveu a Guerra colonial, ou do Ultramar, de perto, como o caso do meu pai que tem agora 75 anos, sugiro a oferta deste livro.
Guiné, Dezembro de 1972. Em plena guerra colonial, um grupo de soldados portugueses é destacado para uma operação secreta no Senegal. Porém, à medida que vão sendo consumidos pela paranoia e pelo cansaço, esta missão aparentemente simples vai transformar-se num verdadeiro pesadelo. Embrenhados na selva, estes homens terão de confrontar sucessivos demónios — os da guerra e os que trouxeram consigo.


Para as crianças
É preferível juntar os tios, pedir aos avós, explicar aos amigos... mas dar presentes que realmente sejam importantes e marquem a data.
Maior parte das crianças tem coisas a mais, é fundamental começar a contrariar isto e ajudar os mais novos a valorizar cada coisa.
Menos é mais.
Procurar um maior foco, mais estímulo na utilização criativa dos brinquedos, materiais mais duradouros, mais nobres.  Se possível apoiar pequenos negócios, marcas nacionais.
Consumir de forma consciente é sem dúvida uma forma de manifestarmos a nossa posição e reforçarmos as nossas opções.
A nossa NhekoShop apresenta várias sugestões de brinquedos com estas características mas há muitas outras!

Livros: Já aqui apresentei este projecto, e sugiro agora o pacote™de Natal
O pacote™ de Natal pretende dar uma ajuda a quem gosta de oferecer livros, não tem tempo para os escolher, detesta lojas nesta época do ano (mesmo livrarias), acha que já chega de brinquedos sem graça e sabe que um livro é sempre um livro.
O pacote™ pode incluir um ou mais livros , até 4, para uma ou mais crianças, dos 0 aos 18 anos.

Outra proposta é o Caderno das respostas e o A família num caderno, da Hi Hi Hi espreitem a loja e deliciem-se com estes pequenos livros, que são grandes presentes para este Natal.

Cunhados & cunhadas,
Adoro o livro Cento e onze discos portugueses - A música na rádio pública.
O Milk Book, é incrível.
Aconselho estes bonitos presentes entre gente de bom gosto.

A dois,
Deixem os miúdos com os tios, primos e avós e pirem-se os dois para ir ao Mini Bar, o bar gastronómico do muito talentoso José Avillez.
Escolham o menu de degustação Épico, avancem às escuras e sem medo. Confiem. É muito, muito bom.
"(...) Aqui, nem tudo o que parece é. 
Margaritas de maçã verde e Caipirinhas - não para beber, mas para comer. "Ferrero Rocher" de foie gras. Gambas do Algarve em ceviche servidas sobre uma rodela de lima com esfera de beterraba e topping de milho frito. O melhor frango assado, como nunca o imaginou: numa pequena base crocante, cheia de sabor, com creme de requeijão fumado. Umas Batatas que são Parvas porque são pequenas. O JAburger, um delicioso hambúrguer servido num brioche ultra-leve, que se desfaz na boca. O Iogurte de framboesas, mascarpone e suspiros servido em copo de iogurte selado. O Globo lima-limão, uma esfera de sorvete recheada com frescas memórias de infância e muito, muito mais. "
Épico.


Fotografias
Este mês trazemos uma selecção de fotografias tiradas ao nosso querido amigo Paulo Arraiano no seu antigo atelier na Art District, em Cascais.
Paulo Arraiano é um dos actuais grandes nomes da arte contemporânea nacional e a sua obra um privilégio para os nossos olhos.
Podem seguir o seu percurso através do Facebook ou Site.
As fotografias são do Vitorino Coragem.






Share This Post :
Tags : , , , ,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar