/ 24.8.17 / No comments / , , , , , ,

À volta da mesa / 3


À volta da mesa, uma série de publicações sobre uma temática com grande peso na Vida em família: a alimentação. Com a colaboração de experts na matéria que partilham receitas e nos ajudam neste percurso rumo a uma vida cada vez mais saudável, consciente e vivida em família.




Estamos em pleno Verão, filhos em casa, poucas rotinas, horários desencontrados, refeições soltas. Cá em casa, nestas férias, vivemos um género de sistema anárquico no que respeita às refeições, cada uma das meninas faz mais ou menos o que quer, ao longo do dia vão comendo e muitos são os dias que saem para a praia com farnel.
Ao jantar, há dias em que se juntam os manos e nós só jantamos depois. Quando estamos os seis há sempre muito que conversar e eu adoro essas refeições que se prolongam pela noite dentro.

Estarmos todos em casa é também sinónimo de muitas idas às compras. Vamos ao mercado à quarta e ao sábado, ao supermercado algumas vezes mais do que eu gostaria.
No frigorífico tento ter sempre alguns legumes e frutas preparados para que as meninas os escolham em vez de soluções práticas mas menos saudáveis.
Os nossos filhos são preguiçosos, comem sempre primeiro o que dá menos trabalho o que pode significar taças gigantes de cereais a toda a hora. Para contrariar isto eu, pacientemente, descasco e corto em palitos cenouras e pepinos, encho uma taça com cubos de melancia e melão, lavo tomates pequeninos e por aí fora. Sei que assim todos se alimentam melhor (inclusivamente a preguiça dos meus filhos que cresce a olhos vistos...)
Encontrei este pequeno vídeo com ideias práticas, as minhas favoritas são a dos ovos cozidos e dos caroços das cerejas.

Nesta altura de calor comemos muitas vezes sopas frias, de momento a favorita é o gaspacho que enriquecido com pão torrado e ovo cozido picado fazem a alegria desta família.

Esta é também uma fase de festas atrás de festas, jantares com amigos, família alargada e muito excesso. Comemos e bebemos demais. Para compensar um bocadinho, temos o hábito de beber de manhã água morna com sumo de limão ou chá de gengibre com limão, ajuda a desintoxicar o organismo. Ao longo do dia tento beber o máximo de água possível e incutir este hábito nos miúdos.

Procuramos comer gelados bons, o mais naturais possível. Actualmente há uma série de novas marcas que já apresentam grande rigor na origem dos ingredientes e qualidade dos mesmos. São um pouco mais caros mas valem bem a pena, tentamos passar aos miúdos a ideia de que mais vale menos mas de boa quantidade do que muito e mau.

Para nós foi muito importante fazer com que os nossos filhos compreendessem as quantidades de açúcar que alguns alimentos e bebidas têm, fê-los perceber e recusar o consumo dos mesmos de forma autónoma e não porque nós proibimos.



A mana mais crescida está determinada a deixar (ou reduzir drasticamente) o consumo de carne, viu uns documentários sobre o assunto que a impressionaram bastante e a fizeram dar este passo que já se adivinhava há uns tempos.
Como já aqui referi, nós comemos carne e peixe mas temos vindo a tentar comprar cada vez menos nos supermercados e procuramos conhecer a proveniência do animal. Actualmente a carne que comemos vem da zona Oeste,de produtores locais, onde os meus pais têm uma casa e vão regularmente e o peixe compramos no mercado de Cascais e numa peixaria fantástica que há perto de nossa casa.
Procuramos fazer cada vez mais refeições à base de legumes, a nossa próxima compra vai ser um espiralizador para converter frutas e legumes em massas e a partir daí dar asas à nossa imaginação.


Pelos caminhos de Portugal.
Os meus pais são daquele tipo de pessoas capazes de fazer 150 km para ir comer aquele prato especial àquele restaurante especial. Em miúda eu acompanhava grande parte destas incursões gastronómicas pelo nosso país a fora e ficou-me a mania de só comer pratos regionais da zona onde estou, ou seja se estiver no Alentejo durante 5 dias, pois são 5 dias a empanturrar-me de migas, sopas de tomate, beldroegas e cação, no Em Ponte de Lima não falho o arroz de sarrabulho e na ria Formosa vivo de ostras, conquilhas e por aí fora.
Os nossos filhos acompanham com prazer esta especialização e aproveitamos para perceber o porquê de se comerem certos pratos naquelas regiões, é um bom mote para se aprender muita coisa sobre cada região, a sua história e mudanças sócio-económicas do País.


Fotografias Joana Quintanilha

A nossa convidada deste À volta da mesa, é a Joana Barrios que lançou há pouco tempo o livro Nhom, Nhom! 
Incrivelmente versátil e deliciosamente irreverente, a Joana desdobra-se em várias facetas;  podem conhecê-la como o rosto feminino da porta da discoteca Lux, actriz do Teatro Praga, encenadora, apresentadora do Canal Q, criadora do blog Trashédia. No meio disto tudo é mãe de duas crianças e foi com base nessa experiência que pensou o Nhom, Nhom!, um livro a pensar nos mais pequenos onde são apresentadas receitas, passo a passo, de forma fácil e divertida.
A ideia é demonstrar que cozinhar para crianças não tem de ser monótono e desenxabido.

Na introdução deste livro podemos ler:
"Uma nota: odeio latas. E odeio coisas já feitas, porque sou das que faz tudo por gosto. Sou das que demolha grão e feijão, das que retira o fio ao feijão-verde, das que faz os nuggets e os hambúrgueres e tudo o que é fast food em casa. Sou dessas que faz a granola e odeia os pacotes. Pronto, já disse".


A PRIMEIRA SOPA
"Esta foi mesmo a primeira sopa que confeccionei para a Mercedes e que ela comeu num dia em que muito tristemente tive de ir trabalhar e foi a Avó Tila quem ficou com ela e lhe deu de comer. Reza a lenda que comeu deleitada e que adorou.

Ingredientes:
1 batata-doce pequena
1 batata branca pequena
250 g de abóbora
água
1 colher de café de azeite

Preparação:
1. Descasque a batata-doce e a batata branca, e retire a casca à abóbora; lave-as muito bem.
2. Corte os legumes em cubos pequenos e coloque-os num tacho.
3. Cubra-os com água e leve ao lume, em lume médio, até os legumes estarem muito cozinhados, quase desfeitos.
4. Retire o excesso de água e reserve. 5.
No copo da varinha mágica, reduza-os a puré.
6. Aproveite a água para controlar a consistência do puré.
7. Antes de servir, adicione o azeite cru e volte a triturar.
8. Sirva – é um sucesso!"


SALADA DE QUINOA COM BACALHAU
" Comi esta salada em casa de uma amiga há alguns anos. Guardo na memória o cor -de- -rosa intenso e o seu sabor. Em minha casa sempre se comeu muito bacalhau, mas respeitando o sabor “tradicional”.
Este revolucionou a minha forma de tratar o bacalhau e fez com que começasse a utilizá-lo muito mais e o afastasse das batatas, do grão e das couves!

Ingredientes:
1 posta de bacalhau
água
sumo de 1 limão
1 beterraba
1 chávena de chá de quinoa
1 fio de azeite

Preparação:
1. Coza o bacalhau em bastante água. Quando estiver cozido, escorra-o, retire-lhe as espinhas e desfie-o para um recipiente.
2. Tempere o bacalhau com o sumo de ½ limão, envolvendo bem com as mãos. Aproveite para espremer o bacalhau e confirmar que não se esqueceu de nenhuma espinha. Reserve.
3. Descasque, lave e rale a beterraba para o mesmo recipiente onde colocou o bacalhau; reserve.
4. Coza a quinoa em lume brando e deixe passar mais uns minutos que os da cozedura recomendada para que esta fique bem macia. Escorra bem.
5. Deite a quinoa no recipiente onde se encontram o bacalhau e a beterraba, envolvendo bem com uma colher de pau ou com as mãos.
6. Teste a acidez do preparado e avalie se quer juntar mais limão.
7. Regue com o azeite, envolva e sirva!
Pode acrescentar hortelã a esta salada."


GUACAMOLE COM CHIPS DE BATATA-DOCE
"Nós adoramos guacamole. E eu tive a sorte de, num ano em que houve um encontro mundial de ranchos folclóricos em Montemor, o rancho mexicano ter ficado hospedado no Monte Alentejano. No último dia da sua estadia, os membros do rancho perguntaram se podiam cozinhar-nos uma refeição mexicana, na nossa cozinha. Pedi para me ensinarem a cozinhar tudo o que fossem cozinhar. Guardei as receitas na memória.

Ingredientes:
1 abacate bem maduro
¼ de cebola
sumo de ½ limão
2 tomates bem maduros
salsa
um fio de azeite
1 batata-doce

Preparação:
1. Descasque e retire o caroço do abacate; regue a polpa com o sumo de limão e reserve.
2. Pele os tomates e retire-lhes as sementes, pique-os muito finamente e reserve num recipiente.
3. Pique a cebola e a salsa e junte-os ao tomate. Envolva.
4. Esmague o abacate com um garfo, de forma grosseira, e incorpore no preparado anterior. Regue-o com o azeite, envolva muito bem e reserve.
5. Descasque, lave e corte a batata-doce em rodelas fininhas (se tiver, pode cortar naquelas máquinas de corte de vegetais).
6. Forre um tabuleiro de forno com papel vegetal, disponha nele as batatas, borrife-as com água e leve-as ao forno preaquecido a 150 °C por pelo menos 5 minutos (a espessura do corte das batatas irá determinar o seu tempo de cozedura).
7. Sirva uma coisa com a outra!"

Fotografias Nhom Nhom

 "A hipótese de educar um palato completamente novo e de lhe dar a experimentar a infinidade de combinações que se podem fazer tornou-se, para mim, uma das formas de educar mais importantes. Sem histeria, sem fundamentalismos, sem restrições, ou dietas ou planos avant-garde. Nada new age, também".
Joana Barrios



Obrigada Joana!
Bom apetite para todos.
Share This Post :
Tags : , , , , , ,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar