/ 25.5.17 / No comments / , , , , , , , ,

Bem-vindo sejas... Junho


Dentro do tema Vida em família - Dias úteis, Bem-vindo sejas... é uma publicação mensal com algumas sugestões, propostas, ideias e intenções para o mês que começa; Programas de filho único, ideias para a família toda, escapadinhas a dois, propostas para fazer em casa e fora dela, assuntos incontornáveis e boas oportunidades para saber mais sobre alguma coisa, vontades e desejos, formas de reforçar as relações entre os vários elementos da família e o que mais surgir, é o que por aqui vai aparecer.



Junho começa com a comemoração do Dia Mundial da Criança, esta é uma data que pode (e deve) servir para levantar as nossas cabeças e olharmos em volta; Infelizmente a maioria das crianças do mundo não tem acesso ao básico e não usufrui do estipulado na Declaração Universal dos Direitos da Criança.
Em casa temos um livro, Direitos da criança que é um excelente ponto de partida para variadíssimas conversas sobre os direitos, os deveres, o mundo e o que é ser criança.
Para mim estas datas, cada vez mais, devem ser marcos para certas reflexões e aprendizagens, ajudar os nossos filhos a compreender o mundo onde vivemos e sentir-se parte dele. Perceber também a diversidade cultural, as realidades dos outros países, o privilégio que é vivermos nesta nossa sociedade onde as crianças são respeitadas, protegidas e tão amadas.

Fora de casa
Programa filho único
A criança mais pequena cá de casa e, na verdade, a única que nos resta, pediu para ir ao Jardim Zoológico. Nunca foi e quer ir.
Acho que não visitamos o ZOO de Lisboa há mais de 10 anos, não é um programa que me encante mas, decidimos ir com o mini rapaz.
Para tentar que esta vivência seja ainda mais significativa estamos a preparar algumas coisas:
Antes da visita: Vamos ver todos os livros de animais que tivermos em casa, vamos escolher alguns animais e encontrar imagens dos mesmos em revistas velhas ou imprimimos para fazer um caderno de registo. A ideia é preparar algumas "perguntas" para as quais vamos procurar "respostas". 
Durante: Levamos a máquina fotográfica para registar, não só o momento, mas pormenores que sejam importantes para este estudo. Poderemos escrever ou usar um gravador de voz ( do telemóvel) para ir guardando pequenas reflexões que vamos fazendo. Vamos usar o caderno para ver as questões que trazemos de casa e ir acrescentando outras. Se encontrarmos um tratador vamos pedir-lhe para nos falar do seu trabalho.
Depois: Há muito que fazer... temos de tratar toda a informação que reunimos. Fazer também um registo do que gostámos e do que não gostámos, talvez uma lista de sugestões para melhorias. Vamos imprimir as fotografias e fazer um livro ou cartazes para uma exposição, se a opção for a segunda, começamos um novo projecto que envolve pensar na exposição, a criação dos objectos a expor, a informação adicional, a inauguração, convites, um catering adaptado ao tema... enfim, um trabalho sério!
Desta forma vamos conseguir que esta simples ida ao Jardim Zoológico se transforma num marco e que potencie várias aprendizagens e muita diversão. Esta ideia pode ser adaptada a muitos tipos de programa, é só pensar na coisa de outra forma e envolver os miúdos ao máximo. Uma ida ao Zoo pode dar pano para mangas e tema para o mês inteiro. 

Em família
Ver estrelas
Vivemos perto da praia onde as estrelas à noite brilham muito e gostamos de olhar para elas, as meninas crescidas, em plena adolescência, vivem com romantismo o encanto dos astros e o mais novo acha tudo mágico. Para completar este programa, que é óptimo para as longas noites de Junho, queremos ir visitar o Planetário, o primeiro domingo de cada mês a entrada é gratuita o que é de aproveitar, especialmente porque queremos ir os seis.
Mini fuga
Outro programa que queremos fazer em família é uma visita ao Parque Aquático das Grutas de Mira d'Aire. Não é longe, a zona envolvente é muito bonita, aproveitamos para visitar as grutas e come-se muitíssimo bem por ali. As meninas entram este mês de férias e vamos tirar uns dias para uma pequena pausa.


Livros
Junho é o mês da Feira do Livro de Lisboa, a 87.ª edição decorre entre os dias 1 e 18 de Junho, como habitualmente no Parque Eduardo VII.
Eu adoro a feira do livro, em adolescente trabalhei lá uma série de anos, criei uma ligação forte a este evento, por mim ia todos os dias.
Gosto de ir sozinha e com tempo para me perder em cada stand, meter conversa, encontrar amigos das editoras, sentir-me parte daquele ambiente de paixão pelos livros. Adoro combinar com amigos que tenham este amor partilhado. Gosto de ir com o meu pai, ele é o grande responsável pelo amor que tenho à leitura e gosto de partilhar com ele este programinha. Gosto de ir com a minha família, de preferência com um de casa vez para gozar ao máximo tudo. Num mundo ideal, parava tudo e durante estes dias a minha vida era isto!

Juntei-me à Sara Amado Prateleira-de-Baixo (que também deve gastar algum do seu tempo no Parque Eduardo VII por estes dias...) e criámos uma oficina em torno dos livros e das leituras. "Livros que nos Livram" vai ser um espaço onde vamos falar sobre a literatura infantil, partilhar as nossas escolhas e apresentar um olhar prático do livro como instrumento útil no crescimento. Temas como a justiça, a tolerância, a vergonha, o respeito, a mentira, a aceitação, etc nem sempre são fáceis de abordar com os nossos filhos e os livros são grandes aliados nesta construção de espaços de diálogo. Nesta oficina todos vão meter a mão na massa e juntos vamos explorar formas criativas de olhar para os livros. Na inscrição os participantes respondem a um pequeno questionário que depois vai servir de base para escolhermos, a dedo, uma livro para oferta personalizada. Vejam mais informação no site ou na página de facebook do Estúdio da Vila, tal como a restante programação.
3 de Junho, das 10h às 13h - Estúdio da Vila, em Cascais

Ainda sobre livros, hoje é o lançamento do Viver Devagar da Maria Cordoeiro e eu já o tenho, li-o em duas vezadas, dois fôlegos.
Proponho este livro como o destaque do mês.
Gostei muito, aprecio a forma simples como as coisas são apresentadas, senti uma proximidade enorme em muitos momentos do livro especialmente nas reflexões, na partilha dos pensamentos e inquietações. É um livro muito inspirador, sem ser ambicioso, quem querer dar receitas para o sucesso, sem procurar ser modelo exemplar de nada. 
Senti-me muito próxima do que encontrei neste livro, realmente os caminhos podem ser diversos mas a procura é a mesma, queremos viver de forma consciente, sentir verdadeiramente o que há para sentir, ajudar a crescer crescendo com os que nos são próximos, acreditar que cada dia é mais uma oportunidade de viver um dia único, saber priorizar, desvalorizar, conseguir manter o foco na relação e no amor.
Em Viver Devagar não encontramos fotografias de cair para o lado, uma estética perfeita, receitas sublimes nem segredos bombásticos. É um livro cheio de coisa boas, práticas, exequíveis, verdadeiras. Aqui encontramos uma família que procura ser o mais feliz possível com tudo o que tem ao seu dispor, valorizando o que os rodeia, educando para a partilha, para o respeito, promovendo a consciência e dando espaço para a imperfeição, para a falha e para a irreverência de contrariar a corrente. Obrigada Maria, é um prazer conhecer gente assim, tão de bem com a vida!

A dois
Espectáculo
Este mês apenas vou destacar o espectáculo de dança da grande Olga Roriz, que quero mesmo muito ir ver.
"(...)Baralham-se as convenções, e faz-se daquele lugar um outro, ou apenas um palco a existir como tal, numa relação entre o ser humano, o tempo, o espaço e a matéria. Naqueles corpos reconstroem-se os afetos, o mundo imprime-se no olhar, no rosto, no corpo e nas palavras, em direção a outros caminhos do sentir."
Antes do espectáculo nada como uma refeição leve e deliciosa no restaurante da nossa amiga Catarina Gonçalvez, Ao 26 Vegan Food Project ali no Chiado e depois de sair do Teatro São Luiz, descer ao Cais do Sodré para um petisco e umas imperiais no Povo ou no Sol e Pesca.
Voltamos de comboio por causa do balão e porque é bom namorar nos transportes públicos.


Dentro de casa
Andamos viciados em águas aromatizadas!
Com o calor sabe mesmo muito bem uma bebida fresca, os crescidos cá de casa abusam nas minis, no vinho branco, nos blody Mary's e gin's tónicos; Assim que começa o tempo a aquecer fica tudo estragado, começamos logo ao fim da tarde enquanto fazemos o jantar e trocamos dois dedos de conversa. 
As águas aromatizadas não substituem nem sequer fazem sombra a estas maravilhas que enunciei, mas distraem e dão para dar uma no cravo, outra na ferradura.
As favoritas da casa:
Água de pepino e lima
Para um jarro precisamos de 10 fatias finas de pepino e 5 fatias de lima.
Adicionar também algumas folhas de hortelã.
Água de melancia
Num jarro colocar 5 ou 6 cubos gordos de melancia sem pevides/caroços.
A quantidade de fruta a ser utilizada depende do tamanho do jarro e da intensidade do sabor desejado. Gostamos com algumas folhas de hortelã.
Deixem a fruta descansar na água por algumas horas no frigorífico antes de servir as águas aromatizadas.

Fotografias
Este mês trazemos uma pequena amostra do trabalho do muito talentoso artista plástico, o nosso querido amigo João Paulo Serafim.
Podem seguir o seu trabalho:  MIIAC | Instagram


Obrigada pela visita, desejamos um óptimo mês de Junho a todos!
Share This Post :
Tags : , , , , , , , ,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar