/ 31.1.17 / 1 Comment / , ,

O meu quarto é...

Fotografia Nuno Fontinha

O nosso quarto tem uma importância diferente na nossa vida dependendo da nossa idade, se em pequenos damos tudo por dormir no quarto dos pais ou dos irmãos, a partir de uma certa altura o nosso quarto passa a ser território protegido, zona proibida, perímetro inviolável que espelha a nossa alma e que é revela o mais intimo de nós. 
E depois? Quando o partilhamos com alguém por opção? E quando os filhos nos invadem o quarto?

Perguntámos a várias pessoas, de várias idades e credos o que representava o seu quarto para si... o resultado é muito divertido.

Fotografia Vitorino Coragem

O meu quarto é como um mundo criado por mim para mim, é onde tudo pode acontecer e eu posso ser o que quiser: desde cartunista, a engenheiro, a astronauta...
É também a única parte da casa onde posso estar sozinho, sem ninguém me incomodar. 
Nicolau, 16 anos 

Fotografia Vitorino Coragem

Tenho o mesmo quarto desde sempre, alguns móveis mudaram mas há coisas que lá estão desde que me lembro de mim pequenina. Isso tem um lado que eu detesto mas tem outro que até gosto. 
Sempre gostei mais do quarto da minha irmã e quando éramos pequenas eu ia dormir com ela quase todas as noites. 
Eu gosto de comer na cama e ver filmes no computador mas não gosto de estudar no quarto, não me concentro. Adorava ter um closet e televisão no quarto. 
Carolina, 13 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Nunca tive um quarto só meu, sempre dividi com o meu irmão e quando saí de casa foi para ir viver com o meu namorado e, obviamente, dividir o quarto com ele. 
Actualmente o meu quarto é muito pequeno mas é acolhedor. No meu quarto tenho fotografias e desenhos dos meus filhos. 
Gosto muito de ficar na cama a trabalhar, só faço isso de muito em muito tempo mas adoro. Também gosto que os meus filhos se deitem comigo e fiquemos a ler, à noite ou nas manhãs de fim de semana. Gostava de ter um quarto maior, com mais luz natural e cheio de plantas. 
Alexandra, 43 anos

Fotografia Pau Storch

O meu quarto é a minha vida! Sempre tive um quarto só para mim e nunca me imagino a ter de dividir um espaço tão privado. Quando me casar vou querer ter 3 quartos: o meu, o do meu marido e o dos dois. 
Detesto que entrem no meu quarto, que mexam nas minhas coisas nem que seja para arrumar ou limpar, prefiro ser eu a fazer. Cada coisa do meu quarto tem um significado, o meu quarto é a minha caixa forte, ali estou protegida do mundo. Tenho a minha música, os meus filmes, as minhas roupas, os meus livros, as fotografias dos meus amigos, os meus cremes e perfumes, o meu espelho, a minha cama. Adoro o meu quarto, é o sítio onde passo mais tempo. 
Madalena, 17 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Um quarto tem de ter um tema, pode ter uma cor dominante ou um género; ser romântico ou mais clássico, ser estilo hippie alegre e colorido. Detesto quartos onde as coisas não se ligam, onde está tudo misturado e não há um estilo definido.
Acho que o quarto mostra muito da personalidade da pessoa, há quem não se interesse nada pelo seu quarto e se preocupe com outras coisas, há quem goste de estar sempre a mudar a decoração do quarto.
Gosto de imaginar o quarto das pessoas, das minhas amigas, mas depois quando conheço nem sempre corresponde ao que eu tinha pensado.
Adorava ter uma mezzanine no meu quarto, gostava de ter uma decoração Boho chic, com um caça sonhos gigante na parede, por cima da cama. Mobília branca, plantas espalhadas, uma manta colorida e um pano na parede. 
Eu adoro estar no meu quarto, gosto de estar no telemóvel, ouvir música, descansar, gosto de ler, de preparar as coisas da escola, adoro ter material escolar bonito e organizado, faz-me sentir bem. 
Gosto também de ter a minha roupa arrumada e organizada, adoro os meus cremes e produtos de beleza. A cama é muito importante, a minha é super confortável! 
Eu não gostava nada de ter de dividir o quarto porque depois não o poderia alterar quando quisesse e também porque a outra pessoa podia ser desarrumada e isso comigo não dá!
Alice, 14 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Divido o quarto com as minhas duas irmãs mais novas mas não gosto porque nunca consigo ter as minhas coisas arrumadas porque elas mexem em tudo. Gostava de ter um quarto só para mim mas gosto de dormir com elas, à noite ficamos a falar até dormir. 
Temos uma casa de madeira com quatro andares, com mobílias e bonecas pequeninas e gosto muito de brincar lá. Temos um baloiço no quarto que também gosto muito. 
Gostava que o meu quarto fosse todo cor de rosa nas paredes e queria ter uma cama com um véu como o das noivas, a minha prima tem um na cama dela e eu acho lindo. Também gostava que a minha cama fosse gigante, como a dos meus pais, para as minhas irmãs dormirem comigo sem eu me sentir apertada. 
Matilde, 9 anos

Fotografia Pau Storch

Eu até gosto do meu quarto mas nunca pensei muito nisso, fui eu que escolhi pendurar os meus skates na parede, de resto foram os meus pais, talvez a minha mãe. Uma vez pedi para pôr um cesto de basquete na parede para encestar bolas, mas não deixaram por causa do barulho para os vizinhos. 
Em casa temos uma sala de estudo, onde estão os livros, os computadores e a televisão, passo lá mais tempo que no meu quarto mas quando quero estar sozinho vou para o quarto, deito-me na cama. 
A minha irmã é que adora o seu quarto, ela e as amigas passam a vida enfiadas no quarto, nem faço ideia a fazer o quê, talvez a experimentar roupa...? As raparigas e os rapazes até nos quartos são diferentes. 
Henrique, 18 anos

Fotografia Vitorino Coragem

O meu quarto é o meu lugar de sossego, é onde tenho o meu "mundo". 
É o lugar que procuro quando preciso de estar sozinha. 
Se por exemplo, estivessem 3 quartos e alguém que me conhecesse mas que nunca tivesse entrado no meu quarto tivesse de escolher entre os 3 qual era o meu, a pessoa adivinhava de certeza pois o meu quarto... sou eu! 
Daniela, 16 anos 

Fotografia Vitorino Coragem

O meu quarto é um CAOS autêntico, a minha mãe já desistiu! Junto roupa suja e limpa, tudo em cima do sofá, tenho livros, revistas, discos, tudo espalhado no chão. Ali está o meu mundo que, tal como o quarto, é caótico, é a minha forma de estar, já que lá fora tenho de cumprir as regras sociais aqui dentro é a anarquia total. 
Quando o meu pai vivia em casa eu não podia fumar nem ouvir música alta no quarto mas desde que os meus pais se separaram isso passou a ser possível e eu sinto-me mesmo bem no meu quarto. Gosto de ter cá amigos e até já chegámos a ter uma banda que ensaiava no quarto mas só durante o dia e sem bateria, nunca nos esticámos demais. É uma anarquia controlada! 
André, 20 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Desde que fui mãe o meu quarto ganhou outra dimensão, é o local onde mais gosto de estar. O meu filho dorme no meu quarto, temos uma caminha perto da nossa. Comprei um difusor onde utilizo óleos essenciais que deixam um aroma muito ligeiro e agradável no ar. Na cama só uso roupas brancas e comprei umas almofadas grandes e super confortáveis. 
Estar sentada na minha cama a dar de mamar ou com o meu filho a dormir ao meu lado, faz-me sentir a pessoa mais feliz do mundo. Tenho a certeza que nunca na vida me vou esquecer desta sensação e deste meu quarto. 
Mariana, 29 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Sempre achei que o quarto era local de recolhimento e de calma. Nunca levei  o computador nem telemóveis nem tão pouco tive televisão no quarto. A cama é para dois e serve para amar e para descansar. Tem sido difícil manter esta linha com filhos pequenos mas temos conseguido e nem em noites de febre lá ficam a dormir, no máximo adormecem na nossa cama. 
Acho que não há verdades que sirvam para todos ou regras mais certas que outras, cada um tem de encontrar as suas e cá em casa é assim. 
Maria, 37 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Desde os meus 14 anos, ou seja nos últimos 8 anos, vivi em 5 sítios diferentes, num total de 9 quartos. Quando falo do meu quarto, muitas emoções vêm à tona. 
Para mim, o meu quarto, é o único sítio onde estou realmente sozinha, é o sitio onde se reúnem todas as emoções do dia e do passado.
É no meu quarto que me fecho quando quero chorar ou quando quero simplesmente estar em privado mas não é no meu quarto que quero estar quando recebo uma boa noticia ou estou de bom humor.
O quarto deve ser, e é, mesmo quando não queremos, uma reflexão da nossa pessoa. 
Também já partilhei o quarto com o meu namorado durante um período de tempo e essa foi uma experiência muito rica em vários sentidos. Estar num sitio onde não tinha só as minhas coisas, mas também as de outra pessoa, ou não poder dançar feita maluca no meio do quarto se me apetecesse, não foi fácil: O meu quarto é suposto ser o único sitio no mundo onde posso ser quem eu quiser, porque mais ninguém está ali. 
Naquela altura foi difícil conciliar o bom de poder dormir todos os dias ao lado da pessoa que mais amo, e o mau de, por vezes, precisar de “respirar”, mas foi este o quarto onde me senti mais feliz.
Acho que o mais importante a retirar de todas estas experiências que tive é que, não importa onde ou como é o nosso quarto, o que importa é que esse espacinho, que por vezes não damos importância nenhuma, é provavelmente o espaço que nos traz mais revelações de nós próprios. 
Se não estou bem no meu quarto, então significa que não estou bem comigo mesma!?!
Sara, 22 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Tenho um quarto bonito, grande, com luz, bem mobilado, com casa de banho etc mas sinto imensas saudades do meu quarto de solteiro; que era pequeno, escuro, desarrumado, mas era o meu espaço. Quando casamos perdemos isso, os quartos e muitas vezes toda a casa é entregue às mulheres que dominam a arte da decoração, pelo menos a minha é assim. Eu não me oponho nem isto é uma queixa mas de facto tenho algumas saudades de ter um espaço que sinta como meu. 
Vingo-me no carro, esse hoje é que é o "meu quarto". 
António, 41 anos

Fotografia Vitorino Coragem

O meu quarto é uma confusão, os meus filhos fazem da minha cama um acampamento e tenho muitas saudades de ter a cama só para dois.
De momento, a única coisa que consigo dizer sobre o meu quarto é: "Tirem-nos daqui!!!!!"
Nuno, 39 anos

Fotografia Vitorino Coragem

Muito obrigada a todos os que colaboraram nesta publicação!
Share This Post :
Tags : , ,

1 comentário:

sobre

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail