/ 9.10.16 / 2 Comments / , , , , , ,

10:10 Joana Quintanilha|Fotógrafa

10 perguntas e 10 fotografias, uma visita breve à vida de pessoas que nos inspiram.


Nheko: Como é que quem te ama te descreve? 
Joana:  Acho que quem nos ama acima de tudo são os nossos pais, família e amigos, esses dizem que transmito muita calma e caracterizam-me de feitio secundário, romântica e sonhadora. 



Nheko: És arquitecta de formação, quando é que a fotografia surge na tua vida e como é que se torna a tua ocupação principal? 
Joana: Uma longa História... A fotografia sempre esteve presente na minha vida desde muito nova. Lembro me de que quando ficava doente em casa mais ou menos com 10/12 anos, de ver vários filmes do Cineasta Manuel de Oliveira que passavam no canal 2 e de os achar muito interessantes. Depois em Paris, onde vivi 2 anos. tive contacto com os filmes franceses, de François Truffaut, Jean Luc Godard, Eric Rohmer e muitos outros. Acho que a fotografia nasce em mim a partir do cinema. No liceu, já adolescente, comecei a ter interesse pela fotografia de moda, dança e teatro. Nesta fase fiz um curso de fotografia e tentei aprofundar além do modo automático. Mais tarde, na faculdade comecei a explorar o modo analógico, e a perceber que nós é que comandávamos o material, com alguma dificuldade, porque tudo o que fotografava tinha de comparar e escrever o resultado final. Muito dinheiro e rolos eu gastei nesta altura! 
Depois de trabalhar 7 anos como Arquitecta, o cansaço de estar sempre num espaço fechado, a constante " execução " de projecto e o pouco espaço para a criatividade, a crise económica que provocou a minha saída e um tumor na cabeça, fizeram com que eu avançasse para a fotografia. Nesta altura estava à espera de bebé, do meu 2.º filho e disse para mim : A vida é curta e o tempo não dá tempo ao tempo e no final é ele que nos monopoliza. E pensei porque não? Mais liberdade e uma melhor gestão em família. Arrancou então o projecto de fotografar pessoas. 


Nheko: Qual a maior diferença entre o que fotografas e o que gostavas de fotografar? 
Joana: Adoro fotografar e conhecer pessoas novas, fotografar espaços interiores, momentos e pequenos detalhes de ambientes que é o que faço muito neste momento. Fotografo como sei, de uma maneira muito espontânea, tento captar o melhor das pessoas e deixar a minha marca enquanto fotografa. 
Gostava mais que nos trabalhos comerciais que faço, as marcas não tivessem medo de arriscar e que as campanhas tivessem um editorial com história, de alguma maneira ligada à coleção. Sei que as fotografias têm de mostrar o produto e que têm de cativar o publico, mas uma campanha é um pequeno apanhado do seu todo e pode se sempre arriscar um pouco mais. Acho que um editorial não deixa de ser comercial sendo um pouco diferente, aliás tendo personalidade mais vincada até amplia a dinâmica de comunicação. Gostava que um dia uma marca me deixasse explorar o meu lado mais artístico e que arriscasse um pouco nas fotografias ao meu estilo. Ou quem sabe fazer um pouco dos dois estilos. O exemplo das imagens que aqui mostro retratam o modo e o que gosto mesmo de fazer.


Nheko: Para ti é importante conhecer quem vais fotografar ou preferes captar a essência da pessoa na altura? 
Joana: Acho que as duas são importantes, porque nem sempre as famílias estão muito à vontade. O conhecer, no meu caso, passa apenas por uma conversa por telefone ou por email, a falar um pouco das personalidades dos filhos as idades o local e a dinâmica da família. Nesta troca de mensagens acabamos por conhecer um pouco do que vamos encontrar no dia. Mas nem sempre sai como o planeado. Com crianças tudo é imprevisível e ai entra a "essência da pessoa na altura", por isso cabe-nos a nós tirar o melhor daquela pessoa, naquele momento. 


Nheko: Uma boa fotografia tem de... 
Joana: Uma boa fotografia tem de ter o momento certo, o nosso olhar e transmitir acima de tudo verdade . 


Nheko: Tens quatro filhos, como é que sentes que ser mãe influência o teu trabalho? 
Joana: Ser Mãe influenciou muito o meu trabalho, porque o que mais fotografo são crianças e famílias, comecei por testar muito com os meus filhos e ver como se comportava a máquina e como trabalhava a luz, nos seus diversos momentos... Estou sempre a inspirar-me neles e a ter ideias para fazer as minhas fotografias pessoais e a acima de tudo a coleccionar histórias. Com eles estamos diariamente e podemos experimentar de forma mais autêntica. 


Nheko: Quais as maiores dificuldades com que te depararas na conciliação entre a vida familiar e profissional? 
Joana: A maior dificuldade é sem dúvida gerir o tempo da melhor maneira possível sem prejudicar a família. Trabalho muito ao fim de semana, e com 4 filhos torna-se mais difícil deixar com quem quer que seja. Cada vez mais estou a ter trabalhos durante a semana, mas o fim de semana é sem dúvida o forte sobretudo os trabalhos de famílias, Batizados e casamentos. 
Tento não ter dois trabalhos no mesmo dia, para durante as manhãs ou as tardes estar com eles O perigo de trabalhar em casa e de ter tudo à mão, muitas vezes aproveito sempre para editar mais umas fotografias, em vez de fazer um jogo ou mesmo sair com eles para um passeio. Outro grande perigo é esta coisa estranha e pequena que se conhece por telefone onde estamos todos constantemente a publicar imagens, a seguir vidas e momentos de pessoas, artistas, músicos, marcas o que for, a receber emails a toda a hora e a responder tudo no momento. Parecendo que não são interrupções constantes à família, interpela e desestabiliza... Tento ter um equilíbrio cada vez maior e esquecer que o telefone existe ao fim de semana sobretudo quando estou com eles. 


Nheko: Nunca abririas mão de... 
Joana: Sou muito flexível e cedo em quase tudo, mas quando é preciso não abro mão. Diria que tudo depende do contexto e do tema em questão. ​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​ 


Nheko: Quais os trabalhos que mais gostaste de fazer até hoje? 
Joana: Cada trabalho é especial mas trabalhei em três histórias, temas do meu imaginário ligado a épocas históricas, memórias cinematográficas da minha infância e sobretudo românticas; "O banho antigo", "Repetto em calçada portuguesa" e " Apenas ser ". Estes trabalhos não os cheguei a acabar, estão incompletos com grande pena minha, mas ainda vou a tempo, agora que tenho 4 filhos chegou a altura certa! Espero vir a acabar e fazer uma exposição. 


Nheko. Como podemos acompanhar o teu trabalho? 
Joana: Nas varias redes sociais no Instagram, no Blog e no Facebook.

Fotografias Joana Quintanilha
Share This Post :
Tags : , , , , , ,

2 comentários:

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar