/ 28.2.16 / No comments / , , , , ,

As razões da discórdia

As relações não são sempre um mar de rosas, há assuntos que nos chateiam a sério e outros que nos fazem resmungar entre dentes, todos os casais, sejam mais recentes ou da velha guarda, têm momentos em que andam às turras.
Há mesmo os que aparentemente são calmos e ponderados mas que discutem como loucos quando toca a certos assuntos e os que parecem que estão sempre a discordar um do outro mas que essa é apenas a sua dinâmica e na verdade nada os tira do sério.

Quisemos conhecer as razões da discórdia e pedimos a vários casais, que anteriormente já colaboraram neste projecto, para responder a duas questões:
- Quais as principais razões que vos fazem discutir?
- Como ultrapassam as discussões e voltam ao estado normal de paz e amor? 



- O que nos faz discutir 98% das vezes é o meu mau humor, quando estou virada do avesso qualquer motivo serve, consigo ser tão embirrante que nem um santo se consegue abstrair. Nos outros 2% em que há uma real razão e é séria não discutimos de forma a zangar-nos, conversamos sobre o assunto em causa e ponderamos a melhor forma de o ultrapassar, nessas situações sou muito construtiva e positiva.

- Para ultrapassar o melhor é ignorar-me e de preferência deixar-me sozinha, acaba por passar, uma boa noite de sono ajuda sempre a olhar para as coisas de uma forma mais clara. Para as situações importantes nada como um jantar a dois depois de deitar os miúdos com uma garrafa de vinho e muito tempo para conversar, argumentar e reconstruir a paz, depois da tempestade vem a bonança. - Juntos há mais de 20 anos


- São poucas as vezes que realmente discutimos, mas as verdadeiras razões são sempre algum stress e/ou cansaço! Momentos nos quais ambos temos dificuldade em aceder aos nossos recursos. Nestas situações qualquer coisa se pode transformar numa razão para discutir. Pode ser desde coisas muito ”banais e pequenas” à coisas mais ”serias e importantes”, depende apenas do nosso estado interior e não das coisas em si.

- Conhecemo-nos tão bem que estas situações são tão previsíveis. Basta parar, fazer um ”time out” e respirar profundamente. Assim lembramo-nos rapidamente que é mais importante amar do que ter razão e torna-se fácil pedir desculpa e dar um abraço - Juntos há 18 anos


- Questões rotineiras, stresses ligados ao dinheiro mas nós não discutimos muito. 

- Muitas vezes chega não falar durante uns 10 minutos e respirar fundo (em vez de dizer as coisas más que passam pela cabeça quando estamos zangados). Lembrar que o respeito é tão importante como o amor.
Respeitar o espaço do outro e as coisas voltam normalmente ao trilho - Juntos há 10 anos



- Discutimos por causa da condução, discutimos quando o outro se desleixa, discutimos por causa da minha azelhice e distracção, da nossa frequente surdez que nos faz entender mal as coisas, discutimos por causa dos horários, discutimos porque amuamos quando não temos a atenção um do outro e porque somos teimosos...

- Depois de refilar e revirar os olhos, vamos cada um para seu lado. Depois damos as mãos e olhamos um para o outro, isso faz-nos sempre lembrar que nos amamos muito, abraçamo-nos, o contacto físico é muito importante e debatemos sobre o que temos que mudar. - Juntos há um ano


- Às vezes, sentir que o outro não está em sintonia, não está atento, tem outras prioridades, ou não compreende o que se passa do outro lado. Isto acontece sobretudo quando estamos mais cansados e com mais trabalho.

- Uma coisa que não fazemos é passar por cima, ou seja, se se tem de discutir, discute-se! E depois, quando os argumentos de parte a parte ficam mais claros, a discussão tende a dissipar-se. Às vezes, se estamos muito furiosos, damos algum tempo antes de iniciar a discussão, para nos acalmarmos. Outras vezes, se estamos muito furiosos, damos algum tempo depois de terminar a discussão, para nos acalmarmos! 
Normalmente, termina tudo com combinações para o futuro, compromissos para evitarmos discutir mais à frente, e pedidos de desculpa sobre o que está para trás. 
A regra que tentamos não quebrar é a de nunca nos deitarmos sem resolver uma discussão. - Juntos há 8 anos


- Nós estamos sempre a discutir, discutimos porque ele demora uma eternidade a fazer o que eu faço num minuto, discutimos porque ele não sabe onde estão as coisas cá em casa e porque não arruma o que devia, porque não leva o lixo ou se esquece de comprar o que lhe pedi, discutimos por tudo e por nada mas é porque somos assim, na verdade nunca nos chateamos mas para quem vê parece tudo muito intenso. Nas coisas realmente sérias não discutimos, temos tudo bem arrumado. - Juntos há 18 anos


- A Autoridade Tributária, julgo que serão os causadores de grandes conflitos conjugais por esse país fora. 
- Arranjámos uma técnica de contas. A vida é para ser vivida, não para ser preenchida em formulário. - Juntos há 10 anos


Agradecemos a todos os que contribuíram para esta publicação e um obrigada especial ao Vitorino Coragem por esta sessão de fotografias tão divertida que fizemos no elevador do Hotel Infante Sagres no Porto.
Share This Post :
Tags : , , , , ,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar