/ 9.11.15 / 9 Comments / , , ,

Piolhos: 10 anos de luta


Uma década pode parece muito mas, se pensarmos que esta é uma praga que tem vindo a atormentar a humanidade há uma eternidade e que foram encontrados piolhos em múmias egípcias com mais de três mil anos, estes 10 anos passam a ser muito relativos.
Aqui em casa os piolhos chegaram quando as meninas ainda andavam no pré escolar e desde então tornaram-se quase parte da família, há alturas em que desaparecem e nós pensamos que é para sempre mas depois lá aparece aquele recado na porta da sala da escola ou começamos a ver as constantes coçadelas de cabeça ou avistamos mesmo uma movimentação numa das cabeças cá de casa e constatamos que os piolhos estão de volta.
Temos verificado que são muitas as famílias a padecer deste mal e este é um assunto que tira muitos pais do sério acima de tudo pela trabalheira e despesa que acarreta.
Ao longo do tempo temos vindo a recolher um número significativo de pequenos conselhos e soluções bizarras que por vezes vamos testando nas nossas quatro cobaias piolhosas.

Partilhamos aqui o que sabemos sobre piolhos, atenção que muita desta informação é pura troca de mezinhas e não tem qualquer verificação cientifica, ainda assim esperamos que ajude.


- É importante depois de verificar que os piolhos são uma realidade, mudar os lençóis da cama, lavar chapéus, gorros, utensílios e acessórios como fitas de cabelo, elásticos, escovas, pentes e objectos como bonecos de pano ou de peluche, tudo a mais de 60º e pelo menos durante 30 minutos, os objectos que não podem ser lavados devem ser colocados dentro de um saco plástico e ficar fechados durante duas semanas, tempo suficiente para os ovos|lêndeas se transformarem em piolhos e estes morrerem à fome.

- Objectos como pentes e escovas podem ser desinfectados ficando mergulhados em álcool durante aproximadamente 10 minutos.

- A roupa da cama deve ser passada a ferro numa temperatura bem elevada de forma a matar alguma lêndea que tenha resistido à lavagem. As almofadas devem igualmente ser lavadas e, se possível, colocadas na máquina de secar a uma temperatura alta.

- Lavar e colocar um spray desinfectante na cadeira e encosto do carro.

- Os piolhos sobrevivem 2 a 3 dias fora do ambiente húmido do cabelo, deve aspirar bem a casa e o carro e deitar fora o saco do aspirador.

- Depois de qualquer tratamento o cabelo deve ser bem seco porque as lêndeas preferem a humidade ao ambiente seco. Deve ser utilizada uma temperatura bem elevada (esta dica não deve ser tida em conta nas crianças pequenas).

- Os piolhos vivem junto do couro cabeludo, cortar o cabelo da criança não resolve o problema apenas facilita o processo de remoção das lêndeas.


- Juntar umas gotas de óleo essencial de Melalueca (Tea tree) no frasco do shampoo familiar ajuda a prevenir novas infestações. Colocar umas gotas num burrifador com água e pulverizar os cabelos, os bonecos de pano e peluche, o interior dos chapéus e os encostos e cadeiras do carro pode também ter um efeito preventivo.

- Óleo de coco e de anis são também eficazes porque bloqueiam o sistema respiratório doa piolhos mas não actuam nas lêndeas.

- Os piolhos preferem as zonas da nuca e perto das orelhas pelo que essas deves ser os sítios onde se aplica maior quantidade do produto escolhido e onde se deve insistir mais com a passagem do pente.

- Misturar um punhado de sal grosso com amaciador e esfregar todo o couro cabeludo, deixar actuar durante 15 minutos e passar com um pente fino, por fim lavar.

- Misturar vinagre com amaciador, aplicar no couro cabeludo, abafar com uma toalha ou touca durante 30 minutos, passar o pente e lavar de seguida.

- Esfregar o cabelo com areia fina da praia e depois passar o pente, lavar de seguida.

- Chá de arruda e farinha de milho (fubá): Ferver água com uma poção de arruda durante 5 minutos, acrescentar a farinha de milho (fubá) e ir mexendo para não encaroçar nem engrossar. Quando estiver frio aplicar em todo o cabelo esfregando bem. Deixar ficar durante 1 hora enrolando uma toalha na cabeça. Depois lavar.

- Não se devem utilizar tratamentos naturais logo após outros tratamentos pois podem-se anular uns aos outros.

- Pintar o cabelo (mais aconselhado para as mães), as substâncias tóxicas da tinta mata os piolhos mas não tem nenhuma acção sobre as lêndeas.

- Há quem refira que se deve ter atenção aos animais domésticos porque as infestações de piolhos podem ocorrerem qualquer espécie de animais de sangue quente, mas os piolhos são espécies específicas, ou seja, têm preferência quanto à espécie que parasitam, os piolhos que atingem os cães não passam para o Homem e vice-versa, assim como o dos gatos e de outras espécies de animais.


- Explique às crianças que não deve partilhar objectos pessoais como a escova do cabelo ou o chapéu, peça na escola para reforçarem esta informação e que se assegurem que os miúdos compreendem o porquê desta indicação e que não é apenas uma regra imposta.

- É importante nunca aplicar produtos desconhecidos, tóxicos ou inflamáveis na cabeça das crianças pois estas são absorvidas pelo couro cabeludo ou podem provocar acidentes ou intoxicações. Coçar muitas vezes provoca feridas e alguns produtos podem ser perigosos e provocar muito desconforto nas crianças.

- Quando retira os piolhos não os deve deitar vivos na sanita ou pelo cano abaixo porque os piolhos sabem nadar. Esmague-os ou deixe-os imersos numa bacia com vinagre durante uns minutos.

- Tomar vitaminas do complexo B, ex. Bécozyme pode ajudar a repelir insectos em geral.

- Existem no mercado um tipo de pente que detecta e elimina os piolhos através de pequenas descargas eléctricas imperceptíveis ao humano mas fatais para os piolhos, é simples e fácil de utilizar e pode servir toda a família, há quem veja esta solução como um investimento que se faz uma vez e se evita de andar sempre a gastar dinheiro.

- Existe outro tipo de pente que é especialmente eficaz na remoção dos piolhos e lêndeas, vivas ou mortas, o pente Nitty Gritty comb, que tem uns dentes em aço inoxidável com ranhuras microspriral, pode ser encontrado apenas em lojas online.

- Ivermectina, este medicamento pode ser vendido com os nomes. Ivermec, Levercitin ou Revectina e é produzido pelo laboratório Ucifarma em forma de comprimidos. A Ivermectina está indicada no tratamentos de, entre outras coisas, escabiose - vulgarmente conhecida por sarna e também nas infestações por piolhos - pediculose. Este, tal como qualquer outro medicamento, não deve ser tomado sem indicação do médico assistente.

Fotografia Vitorino Coragem

Share This Post :
Tags : , , ,

9 comentários:

  1. Pentear todos os dias o cabelo com umas gotas de óleo de essência. O cabelo não fica oleoso, portanto usem sem problema. Aqui usamos a lavanda. Nunca mais a rapariga apanhou piolhos !! Ao que parece o cheio intenso afasta a piolhagem!
    Abraço a todos menos aos bichos indesejáveis que nos dão comichão mesmo sem existirem, só por falarmos deles!

    ResponderEliminar
  2. Sou educadora de infância também trato os piolhos por tu... Todos os anos coloco papéis na porta, dou volta a cabeças, coço-me mal sei que andam por perto.
    Um truque que me ensinaram e uso em mim e no meu filho é colocar perfume na nuca e atrás das orelhas... Não sei se será mito urbano mas vale sempre a pena tentar.

    ResponderEliminar
  3. Listerine, o elixir oral, coloca se num borrifador e espalhar no cabelo seco, deixa se actuar a noite, tb se pode borrifar roupas antes de lavar.

    O linic anti caspa de mentol ajuda tb na prevenção e alivia comichão.

    Acetona tb actua mas é mais agressiva.

    Também pode passar com aquele ferro de alisar cabelo.

    Já dos produtos de farmácia, o nix é o melhor, mais barato, e como é considerado medicamento ( de venda livre) entra no IRS.

    Também muitos anos de bicharocos, o pior são as lêndeas que para essas marotas não encontro solução.

    Isabel nogueira

    ResponderEliminar
  4. Acho inacreditável a falta de civismo dos pais que se recusam a fazer os tratamentos, por não ser considerado uma questão de saúde pública ou até mesmo de falta de higiene. Sim, não são....mas são um, inferno se todos decidirmos deixar de fazer os tratamentos seja lá porque motivo for ! Sobretudo quando afinal há tanta forma económica de tratar do assunto. Descobri um produto milagroso: http://bebitus.pt/110246-creme-desprende-lendeas-orion-respect-8411660037428.html,económico e que resolve A grande dor de cabeça que são as colas das lêndeas. A outra parte boa é que não tem insecticidas. experimentem e comprovem ;-)

    ResponderEliminar
  5. Aqui por casa esses bichinhos já fazem parte da familia a alguns anos. A mais velha tem um cabelo ideal para eles: muito e grosso. Com a mais pequena por ser loirinha e ser fininho eles dão só uma passagem e vao embora ter com a mana. Aqui por casa também aderimos a lavanda e umas borrifadelas diarias parece reduzer a afluencia de bicharada.

    ResponderEliminar
  6. Felizmente temo-nos safado destes bichos!!!! Mas lembro-me bem de ser a piolhosa da família... hehe. Com a L. depois de ter gasto bastante dinheiro em produtos, descobri uma fita para o cabelo, que comprei na farmácia e que vem impregnada de citronela e erva príncipe, que pode ser lavada umas quantas vezes sem perder o aroma. Quando vem um bilhetinho na lancheira, no dia seguinte é dia de fita no cabelo. Tem resultado.

    ResponderEliminar
  7. Aqui nunca tinham chegado esses bichos ... mas este mês houve uma verdadeira estreia!!!
    Depois do tratamento com o paranix (por coincidência foi o produto aconselhado pelo farmaceutico) no dia seguinte fizemos um belo rabo de cavalo para evitar novas residências de novos inquilinos. Ahhhhhh

    ResponderEliminar
  8. Ena, que agitação e coceira provocou esta "crónica" piolhosa!
    Pis por aqui também temos já uma enorme coleção de pentes de metal. E temos uma sorte enorme porque geralmente os descobrimos naqueles fins de semana em que pensamos (são bastante raros, é vredade): ena, vamos ter um fim de semana mais calmo...
    Depois sabem como é, máquinas e máquinas de roupas, e tudo x6, que é o número de seres de 2 "patas" que habita por aqui (porque ainda há mais dois de 4 patas, mas que felizmente não apanham os piolhos)! Todos os anos envio emials para a esocla, com dicas e o que mais me lembro, incluindo uma sensibilização e uma tentativa de despreconceitualização (n deve existir esta palavra, mas é engraçada e faz-me sentido) do piolho, pois a escola dos mais novos parece achar que o melhor é não falar no assunto porque assusta os pais. Irreverente como sou, mando emails para todos os representantes de turmas...
    São uns dias dias loucos, esses. Quando tudo termina fico sempre um pouco paranóide, não vão eles regressar. E depois, ainda por cima eles gostam também da minha cabeça. Enfim, é a loucura total. Da última vez ainda achámos que seria uma alergia a algum shampo, mas não, era só mais uma daquelas pragas. Os vivis e o mais velho froma acampar e deixaram-nos aos 3 esta prrenda. Quando chegaram com as 3 mochilas de acampamento já a máquina da roupa estava a pedri a reforma. Uma animação total.
    Dicas, julgo que todas essas e a tal da colónia de lavanda (porque segundo consta este ingrediente é que sufoca o bicho). Acho que deve ajudar a prevenior, mas basta falhar um dia e... lá estão eles.
    Adorei este tema. Sinto-me tão compreendida! E lembro-me de estarmos TODOS juntos no Algarve, nós, vocês e os PIOLHOS!
    Beijos despiolhados!

    ResponderEliminar
  9. Olá! Muitas pessoas desconhecem, mas quem tem alergias, problemas cutâneos ou asma tem maior tendência a apanhar piolhos.
    É uma luta sem fim e, nesse caso o melhor é consultar um dermatologista para fazer tratamento.

    ResponderEliminar

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar