/ 4.10.15 / 2 Comments / , , , ,

Ainhoa Vidal e Pedro Gonçalves

Ainhoa Vidal, nasceu em Barcelona, estudou ballet, dança moderna e contemporânea em Barcelona, Madrid e Lisboa onde reside actualmente. 
Bailarina, coreógrafa e figurinista, Ainhoa é uma mulher doce, determinada, forte e obstinada mas acima de tudo apaixonada: pelo seu trabalho, pela sua filha Zoe e pelo companheiro Pedro. 
Pedro Gonçalves, músico com formação Jazz fez parte da "mobília" do Hot Club e foi baixista|contra baixista na banda do Sérgio Godinho entre 1996 e 2001 ano em que se juntou ao Tó Trips e criam os Dead Combo, uma banda com personalidade muito forte que tem alcançado uma crescente visibilidade internacional e o merecido reconhecimento nacional. Pai há dois anos sente-se mais feliz e sereno, Pedro Gonçalves, tal como o personagem que encarna nos Dead Combo, é silêncioso e misterioso o que muito encanta a sua parceira de vida, Ainhoa.

Nheko: Conheceram-se no "Arraial", um trabalho da companhia Circolando e da coreografa Madalena Victorino...
Ainhoa: Sim, a Circolando convidou a Madalena e os Dead Combo participaram... foi amor à primeira vista (risota); Eu já conhecia os Dead Combo de nome, mas era daquelas coisas... toda a gente gostava, eu sentia assim uma repulsa, por todas as pessoas gostarem... mas quando me disseram que íamos trabalhar juntos eu pensei: ok, é agora que nos vamos conhecer!
Pedro: E não foi fácil, nós faltámos a uma série de ensaios por termos espectáculo ou outros compromissos, já éramos chamados os "Gost Combo", mas houve um dia em que lá aparecemos... vínhamos de Braga de um concerto e entrámos no ensaio, estava um ambiente estranho, tenso... um silêncio total e ninguém nos disse nada... até que ela (Ainhoa) se levanta, vem direita a mim e diz: "Olá; Ainhoa, encantada." e pronto... (risota)


Nheko: A vossa "história" é abordada em "Alcovas Brancas", foi a primeira vez que criaram em conjunto?
Ainhoa: Sim, "Alcovas Brancas" foi um trabalho muito íntimo, muito bonito... agora estamos juntos num outro espetáculo chamado "Rosa Cão", eu sempre gosto de trabalhar com quem me está muito próximo, é mais duro mas...

Nheko: A Aldina Duarte refere numa entrevista por causa de "Romance", disco produzido pelo Pedro, que embora seja muito tímida e reservada passadas apenas duas semanas depois de vos conhecer já era "amiga da família", é sempre assim?
Ainhoa: Esta coisa de não se separar a arte da vida...o trabalho, é como uma linha contínua, eu estar
próxima das pessoas com que o Pedro está a trabalhar, do material com que está a trabalhar também... faz parte da vida, é difícil que seja de outra forma, e eu também não quero!






Nheko: E como conciliam o vosso trabalho, o vosso ritmo com o tempo para a vossa filha Zoe?
Ainhoa: Agora neste espetáculo "Rosa Cão" estivemos uma semana em Palmela, íamos e vínhamos todos os dias e decidimos levar a Zoe. Eu acho que para ela é fantástico mas também é muito duro... na semana seguinte foi Montijo e aí decidimos que a Zoe não ia, aliás foi o Pedro que decidiu... por mim ela ia sempre!
Pedro: ... ela já não ia à escola há uma semana...
Ainhoa: Há esta gestão... embora tenhamos pontos de vista similares... mas por mim levava-a sempre. Ela está num ambiente fantástico, criativo, não é uma atividade cultural como levá-la ao teatro... estar lá é totalmente diferente, ela mama aquilo, entra-lhe na pele, mesmo que não esteja atenta... é bom estar no meio da música, das pessoas, das luzes... o Pedro concorda mas chama a atenção para o facto da Zoe precisar de atenção, ela quer estar lá connosco e nós não estamos com ela com qualidade... eu acho que faz sentido.
Pedro: É importante que a Zoe passe tempo com pessoas que estejam mesmo com ela, com essa qualidade e depois de uma semana connosco lá era melhor voltar à escola, estar também com o avô...

Nheko: Têm apoio | suportes familiares?
Pedro: Pouco, o meu Pai sim... e a minha irmã mas ela tem quatro filhos, é muito limitado o apoio que temos.
Ainhoa: Há também a minha prima mas que trabalha connosco, faz a cenografia e está muitas vezes ocupada quando nós também estamos.


















Nheko: A Zoe tem pouco mais de dois anos, o que é que mais "dores de crescimento" vos provoca ou o que acham que vai provocar no futuro?
Pedro: Ela é muito independente mas consciente também, às vezes até demais... está sempre a dizer "cuidado", quando anda de carro por exemplo, ou se nos diz: "Vou à Rua" e lhe explicamos: "Vais sozinha? mas há os carros, é perigoso..." ela aceita e concorda: "Então não vou..." nós sempre falámos com ela, ainda estava na barriga, como para uma pessoa, sem coisas sem explicação e falas parvas, eu estou convencido de que se tu explicares as coisas a qualquer puto, seja ele quem for, ele percebe!


Nheko: A vossa forma de sentir a vida alterou-se desde o nascimento da vossa filha? E a forma de trabalhar?
Ainhoa: Eu tenho mais medos, antes olhava sempre só o lado positivo e luminoso da vida, sabia dos perigos  mas era como se olhasse e não visse, agora não! Por acaso tenho saudades do meu olhar anterior... fiquei com muitos mais medos, que aconteça algo... Fiquei com menos medo da morte mas com medo da sua morte, penso nisso muitas vezes...
Pedro: Ao contrário da Ainhoa eu tinha muitas depressões, muitos estados de angústia com a vida... desapareceu tudo. Vivo feliz e contente, estou mais cá, tudo tem um sentido. E claro, isso reflete-se no trabalho.
Ainhoa: A forma como trabalho mudou também, sou menos competitiva. Eu sou muito exigente, mas a exigência por vezes tem qualquer coisa de arisco, de competitivo. Agora não, sou exigente mas de forma mais tranquila e perante os problemas, as situações de stress eu consigo manter-me calma, sem perder o papel, ficar realmente serena sem levantar o tom de voz e sem perder o humor.







Nheko: De onde vem o nome Zoe?
Ainhoa: A escolha do nome tem uma história engraçada... Um dia eu acordei e decidi que ia escolher o nome naquele dia, levávamos um mês e pouco de gravidez mas decidi que seria naquele dia que o nome ficava escolhido!
Pedro: Isto é a Ainhoa... (risota) é hoje e é hoje...
Ainhoa: O Pedro seguiu para o ensaio sem eu lhe ter dito nada desta minha "decisão", eu fui para a Bertrand e pedi todos os livros de nomes que tivessem, sentei-me num cantinho e comecei a escrever num pequeno papel - um recibo de uma empada de espinafres - comecei a escrever de um lado nomes de rapaz e do outro os de rapariga e o último que apontei foi Zoe, mas como já não cabia na lista eu escrevi num canto do papelinho em cima. Depois o Pedro terminou o ensaio e fomos almoçar, ele começou a falar, a falar de coisas... até que lhe perguntei: Então não queres saber o que fiz toda a manhã...?
Pedro: Ela contou-me que tinha feito uma lista de nomes e que me ia ler, começou: Zoe, ... e eu disse: É esse! A Ainhoa insistiu para ler todos, tinha passado horas a fazer a sua pesquisa e eu tinha de ouvir todos... mas ficou Zoe.
Ainhoa: Isto é o Pedro... (risota)



Nheko: São Pais muito diferentes dos Pais que tiveram?
Ainhoa: Eu sou muito parecida com a minha mãe, eu acho. Ela tinha outro tipo de força, era uma mulher do norte. Mas sim, acho que sou muito parecida com os meus pais.
Pedro: Eu não! quer dizer... em algumas coisas sim, claro. Mas tenho uma relação muito diferente com a Zoe. Os meus Pais eram muito tradicionais, conservadores: o meu pai trabalhava, a minha mãe tomava conta dos filhos, e esse era o modelo para toda a vida... até que se separaram e tudo ficou diferente. O meu pai era muito ausente, há coisas que funcionam como lição de vida, que nos fazem ver o que queres e o que não queres para ti... mas o meu pai também me deu coisas fantásticas e únicas.




Nheko: Pensam em ter mais filhos?
Ainhoa: Eu sou filha única e adoro! E também adoro a minha profissão, amo o que faço, quando tenho menos trabalho fico deprimida... preciso de me sentir realizada e o trabalho dá-me essa sensação; É importante a Zoe crescer com uma mãe feliz. ser mãe foi o melhor que me aconteceu, adoro ser mãe, a minha vida melhorou muito mas não quero deixar de dançar e também não quero ser uma mãe ausente... a Zoe vai à escola apenas das 10h às 14h porque escolhemos estar o máximo de tempo com ela, acho que isto com dois seria muito difícil...!
Pedro: Eu contraponho! A maioria dos filhos únicos que conheço são uns meninos da mamã... e é muito fixe ter irmãos. eu tenho uma irmã e não há nenhuma relação igual no mundo. Mas já me estou a habitar à ideia...
Ainhoa: Nós não temos muitos apoios familiares os que também pesa nesta decisão...


Nheko: Como foi a escolha da Escola da Zoe?
Ainhoa: Não queríamos uma escola com uma estrutura muito rígida, a energia na maioria das escolas não é boa... a Zoe anda no Chapitô que é como se fosse a casa do Peter Pan... tem boa energia, é velha, pequena mas tem um espaço exterior com uma casa na árvore... para esta idade é absolutamente maravilhosa, e são muito flexíveis, não cobram quando não vais, é muito bom para nós.



Nheko: Como é que escolhem os brinquedos para a vossa filha?
Pedro: Somos muito seletivos, mesmo chatos! Este natal até houve uma bronca...
Ainhoa: Eu avisei que não queria nada de Barbies ou Hello Kitty's, nada disso. é uma praga a Hello Kitty... a Zoe sabe que não gostamos, eu não gosto! nunca tive uma Barbie na vida... vai ser difícil manter esta seleção mas a minha mãe conseguiu, eu nunca entrei num Mac Donald's...


Nheko: Em termos de alimentação qual a vossa opção?
Ainhoa: Eu sou vegetariana mas a Zoe come tudo... nunca lhe demos leite artificial... biberão, não sabe o que é. 
Pedro: Eles estão sempre a ser assediados, é difícil... e por vezes também temos de perceber que "guerras valem a pena comprar"...
Ainhoa: No outro dia na escola um menino fez anos e levaram um bolo horrível, cheio de corantes, chocolate... e eu pensei: Se não a deixo comer como é que ela se vai sentir?... é difícil fazer este equilíbrio.



Nheko: O trabalho do Pedro obriga-o a constantes ausências, como sentem e gerem isso?
Ainhoa: Eu não gosto nada! Eu vou sempre que posso, sinto muito a falta dele mesmo quando são fases de ensaios de 8 ou 10 horas por dia, eu sinto muitas saudades, muitas!... mas para ele se calhar é diferente.
Pedro: É tramado, é muito difícil, o máximo que passei fora foram duas semanas e foi horrível, dei por mim a pensar: Mas o que é que eu estou aqui a fazer?? Quero ir mas é para casa!
Ainhoa: Eu adoro vê-lo tocar, gosto muito de ir aos concertos, eu estou com ele no dia a dia mas depois vejo-o tocar e vejo o fundo dele, é uma sorte. Há muitas pessoas que não conseguem isso, que não estão com o outro quando ele está a fazer uma coisa que mostra tanto de si... talvez por isso haja tantos conflitos entre os casais...
Pedro: Ela vê-me a tocar, eu vejo-a a dançar... é muito bom, e envolver a Zoe nisso é maravilhoso.



Nheko: E como funciona quando trabalham juntos?
Pedro: É um pouco mais tenso que o resto da vida.
Ainhoa: Sim porque o resto da vida é muito fluída, nós não discutimos nunca. No trabalho eu sou mais stressada que ele mas entendemo-nos bem a trabalhar.

Nheko: E que projetos têm agora?
Ainhoa: Rosa Cão, vamos ao Brasil em Setembro e em Outubro vamos estar juntos numa produção especial dos Dead Combo no festival Big Bang.
Pedro: Mas agora vamos tentar ter umas férias...

Nheko: Como seriam umas férias ideais?
Ainhoa: Uma casa bonita, no campo...
Pedro: E perto da praia...
Ainhoa: Sem fazer nada, quer dizer... eu tenho de ter as minhas coisas, já pensei em levar a minha máquina de costura...
Pedro: Eu sabia! A sério, já tinha pensado nisso, já sabia que ia levar a máquina, não consegue estar parada... (risota)



Nheko: A Zoe é mais pai ou mais mãe?
Pedro: Infelizmente mais mãe... (risota) num primeiro impulso é mais mãe mas também tem coisas minhas, é calma, não gosta de confusão...

Nheko: Qual a característica do Pedro que mais te encanta Ainhoa?
Ainhoa: O silêncio... é muito misterioso!

Agosto 2015 | Fotografias Vitorino Coragem
Share This Post :
Tags : , , , ,

2 comentários:

  1. Gostei muito da cumplicidade entre os 2! <3 Leitura inspiradora.

    ResponderEliminar
  2. ~~~~bom dia alegria~~~~~~que BOM reverte aqui Ainhoa continuas uma fada

    ResponderEliminar

Sobre Nós

Apresentação

O meu nome é Alexandra, vivo com o meu namorado de sempre e juntos temos quatro filhos. Nheko é um espaço de partilha sobre a vida em família - a nossa e outras - e de divulgação de pessoas que fazem coisas realmente inspiradoras. Sejam bem-vindos.

A nossa loja

@nheko_

Seguir por e-mail

Pesquisar